Era uma vez…um Verão diferente

25Jul16

O Verão já chegou, ainda que a muito custo. As chuvas não ficaram de lado e muitos dias o sol esconde-se. Os lagos continuam frescos e as piscinas ainda não convidam muitos adeptos. Mas na Suíça há muito para descobrir em tempo de férias, com ou sem sol. Um pouco de cultura e um pouco de entusiasmo.

_DSC9703-15x24Para os fãs- e não só- da vida dos Hobbits, ou até mesmo do ‘Senhor dos Anéis’ há um ponto de visita. O museu Greinsinger está aberto todos os meses do ano. É preciso marcação prévia e a experiência custa 50 chf.  Bernard Greinsiger refere alguns cuidados a ter numa visita. “O museu não tem horário de funcionamento. Só se pode visitar o museu através da compra de bilhetes no website. Se é um grupo de 10 a 14 pessoas, pode-se organizar uma visita apenas para o grupo Visitas espontâneas do museu não são possíveis”, salienta. “O museu não é adequado para crianças menores de 7 anos, nem para pessoas que utilizam cadeira de rodas. O museu é uma fundação e não uma empresa para ganhar dinheiro. Foi construído para os fãs da Terra-média e Tolkien.  Um passeio que dura entre 3 a 5 horas. Então, as pessoas devem ter comido e bebido o suficiente antes de entrar no museu. Os passeios são oferecidos em alemão, francês, italiano e inglês.” acrescenta.

Têm mais visitantes no Verão. De Maio a Outubro as folhas verdes crescem na parede fora do buraco hobbit. Então, muitos turistas descobrem este mistério, enquanto estão de férias na região. 


2014_Bruno_Weber_hausParque Bruno Weber

Dietikon. Bruno Weber Parque. É um espaço ao ar livre e poucos conhecem. As crianças têm muito por descobrir e deixarem-se encantar. As estátuas coloridas preenchem o lugar. É uma fundação que homenageia o trabalho de Bruno Weber. Têm desenvolvido uma reabilitação a longo prazo e há um plano futuro para o parque. Mas para já, ninguém quer desvendar este mistério.

Ficamos agarrados ao passado. Isabelle Carte, presidente da fundação convida todos a uma visita. “O visitante pode-se surpreender e mergulhar num mundo de fantasia, mover-se e experimentar tocá-lo.  Os visitantes encontrarão um museu a céu aberto, o que está a mudar com as estações, na mudança de luz, temperaturas e condições meteorológicas. A coisa emocionante sobre uma obra de arte é que cada indivíduo é, por sua vez experimentado de forma diferente, uma experiência que ninguém deve perder.”

Foi na adolescência que Bruno Weber mergulhou na arte da pintura. Incentivado pelo pintor suíço Max Gubler, ingressou na Escola de Belas Artes de Zurique, onde os seus professores foram o artista Johannes Itten do Bauhaus e o escultor Ernst Gubler. Seguindo os desejos do seus pais, ele completou a aprendizagem como litógrafo na Orell Füssli em Zurique.

Em 1962, enquanto construía o seu próprio estúdio, tinha um fascínio pela arquitectura. Com o passar do tempo desenvolveu a vontade inesgotável para projectar um jardim na floresta. O espaço através do qual se pode experimentar a interacção da arquitetura escultórica e a natureza. Diz-se que é o maior parque deste tipo na Suíça, criado por um único artista.

Paralelo à grande industrialização do vale do rio Limmat – e como uma resposta a ele – (de) Bruno Weber criou um mundo que faz lembrar um dos sonhos e que transmite o entendimento entre nós,a natureza e espaço vital. Mesmo após a morte do criador, o parque tem permanecido num estado de “work in progress”, pois Bruno Weber deixou para trás inúmeros esboços e desenhos de projetos. Em colaboração com a família do artista, a fundação Bruno Weber está empenhada na preservação, documentação e outras construção das videiras do parque.

A entrada custa 18 chf e está aberto todas as quartas-feira, sábados e domingos, das 11 as 18 horas. 

Barocksaal2_quer_Stiftsbibliothek_StGallenLivros do século passado

St. Gallen. Perto da estação de comboio e por detrás da catedral encontramos o tesouro dos livros. A biblioteca Abbey de St. Gallen é a mais antiga na Suíça e uma das primeiras conventuais bibliotecas do mundo. Mantém a extraordinária colecção de livros que remonta ao desenvolvimento da cultural europeia e aos documentos de arquivo a biblioteca desde 1805.

Os nossos sapatos ficam à porta. Quer dizer temos umas pantufas felpudas na entrada da sala. Aqui não há problema com maus cheiros, o que interessa mesmo é não estragar o chão de madeira. Não podemos tirar fotografias. Por isso, temos de comprar o postal de recordação. Entramos sem medos. À primeira vista, vem-nos à memória, a biblioteca do filme de animação ‘A Bela e o Monstro’, mas em tons mais escuros, mas igualmente encantadora.

Kathrin Hug, bibliotecária confessa alguns dos segredos deste espaço. “Quando se entra na sala barroca é de apenas tirar o fôlego. O salão em si é tem mais de 250 anos, o piso de madeira é ainda o original. Aqui há cerca de 30.000 livros antigos impressos nas prateleiras e nós temos duas exposições em cada ano. A maioria dos manuscritos apresentados na exposição têm mais de 1000 anos. Isto não se encontra em qualquer outro lugar.”Mas vai mais longe: “A biblioteca possui cerca de 170.000 livros e outros meios de comunicação. Livros impressos depois de 1900 podem ser requisitados, enquanto os outros, volumes mais velhos só podem ser usados na sala de leitura.”

O acesso custa 12 chf. Definitivamente um ponto de paragem, se tivermos perto de St. Gallen.

IMG_20160628_104000792Zermatt: mais que uma montanha

Zermatt. Matterhorn. A famosa montanha tem um dos melhores e mais fantásticos trilhos do país helvético. A rota dos cincos lagos é espantosa e disponível para toda a família. São cerca de 3 horas, mas as vistas dos lagos, quebram qualquer cansaço. Chegamos à estação de Zermatt e apanhamos um pequeno transporte com direcção de Sunnega. Subimos, saímos da escuridão do túnel e ao longe já conseguimos ver o Matterhorn. Viramos as costas e apanhamos a gondôla que nos leva até aos 2571 metros, mais precisamente a Blauherd. Aqui iniciamos a jornada. O pic-cnic está na mochila e seguimos rumo até ao primeiro lago. A frescura da natureza deixa-nos encantados, assim que viramos a primeira curva. Stellisee é um dos Lagos, onde a montanha é reflectida com maior frequência. É ponto de paragem para muitas fotografias e para o lanche mantinal. Seguimos as indicações até a próxima paragem. Gridjisee. Um pouco escondido entre o verde da flora, não deixa de lado a sua beleza. 30 minutos mais tarde e umas subidas aventureiras encontramos o local para o almoço: Grünessee. Não precisamos de tirar a toalha ao xadrez, nem o tupperware da mochila. A sandes de queijo e a salada de pimentos chega perfeitamente. Aqui, não fomos os únicos a parar. Os ciclistas da montanha também fizeram uma pausa para refrescarem-se e repôr energias. 20 minutos de descanso e retomamos a estrada. Entre pedras, pedregulhos, uma simpática ponte e umas cascatas chegamos ao claro lago Moojisee, uma hora depois. Um azul de cortar a respiração. Um brilho intenso. É tempo de deixar as descidas. A última etapa é a subir e o trilho é estreito. Mas faz-se com um sorriso nos lábios. Leisee é o quinto lago. Aqui há crianças a nadar, pessoas a apanhar sol. No fundo, um autêntico resort ao ar livre. Subimos mais um pouco e chegamos ao nosso destino: Sunnega. Regressamos a casa, cansados, mas orgulhosos do dia que tivemos.

CIMG0830Os tons alaranjados nas gorges de l’areuse

Em Neuchâtel, mais precisamente em Champ-du-Moulin há um encanto para descobrir e guardar na memória. Gorges de l’areuse. A intensidade da água a descer a ravina, assim como a pequena ponte que encontramos no caminho são presentes que encontramos nesta caminhada. São cerca de 2h30m até Noiraigue. Mas se formos na época onde o Outono teima em chegar, as cores são de cortar as respiração. As folhas caídas no chão fazem-nos sentir que estamos a caminhar num autêntico alpendre suave. 

São sugestões para uma época que convida a passeios diferentes do quotidiano e que nos enriquecem um pouco mais. Porque não há limite para o conhecimento, nem para a aventura e porque há outras formas de descansar.

In Seletiva, Agosto 2016

Anúncios


No Responses Yet to “Era uma vez…um Verão diferente”

  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: