Locução e Respiração

14Jun10

Observe a sua respiração. O que se mexe mais quando você respira: o peito ou a barriga? Se é a barriga, ótimo! Quer dizer que você está respirando fundo, levando ar novo a todos os minúsculos alvéolos que formam o tecido dos seus pulmões e retirando deles o gás carbônico que precisa ser eliminado.

Mas se é o peito que se mexe, você está respirando só com a parte de cima dos pulmões. A parte de baixo fica lá, estagnada, cheia de ar velho e de resíduos, prontinha para adoecer.Além disso, é lógico que só entra a metade do oxigênio que deveria entrar. Isso obriga você a respirar em dobro para compensar.

E precisa de oxigênio? Ora, para misturar com carboidratos da comida, por exemplo, e fornecer combustível para as células. Carboidrato sozinho não funciona, oxigênio também não. Mas com uma grande diferença. A falta de 5% de oxigênio no corpo dá enjôo e tontura, a falta de l0% pode fazer você desmaiar e a falta de 30%, mata. O faquir fica 100 dias sem comer, sem respirar ele não fica.

RESPIRAR É AINDA MAIS IMPORTANTE QUE COMER.

Tanto é assim que respiramos sem querer. Tente parar para ver como é difícil – Viu?

Pois é. Tudo por causa daquela grande mágica da natureza que é o entra-e-sai. Inspira, entra; expira, sai; os dois movimentos têm a mesma importância. Quando não se deixa sair uma coisa, a outra não pode entrar.

Muitas das eliminações do corpo acontecem através da expiração, como por exemplo, as toxinas das gorduras superaquecidas dos alimentos que comemos.

Respira fundo, dizemos a nós mesmos quando queremos coragem. E como a respiração galopa ou fica presa quando vem o medo. Pela respiração, conhecemos o sono de alguém – lenta e profunda, a pessoa está calma; ofegante e sem ritmo, algo incomoda. O fazemos quando queremos passar despercebidos? Prendemos a respiração. Quando aguardamos uma resposta importante, também. E assim que a coisa se resolve, respiramos aliviados.

HÁ TRÊS ASPECTOS BÁSICOS NA RESPIRAÇÃO: RITMO,PROFUNDIDADE
E DURAÇÃO

A RESPIRAÇÃO LENTA, ACALMA. Deixa a pessoa pacífica e compreensiva, produz clareza de pensamento. Ajuda a desenvolver uma percepção mais ampla de todos os fenômenos, aprofunda o auto-conhecimento e a consciência universal. Diminui o ritmo das atividades biológicas e a temperatura tende a baixar.

A RESPIRAÇÃO RÁPIDA, EXCITA, produzindo um estado mental instável. A pessoa muda de emoções bruscamente e tem reações inesperadas de ataques e defesa. Torna-se mais subjetiva e egocêntrica, vê mais os detalhes que o todo, fica mesquinha.

A RESPIRAÇÃO PROFUNDA GERA HARMONIA entre todas as funções do corpo. Com isso, há mais satisfação, estabilidade emocional, confiança e capacidade de expressão. Facilita a meditação e o sentimento amoroso.

A RESPIRAÇÃO SUPERFICIAL GERA CARÊNCIA, já que não supre as necessidades orgânicas de oxigênio. Isso se reflete no estado emocional. A pessoa fica medrosa, volúvel, insegura, ruim de memória e de intuição. A angústia tem muito a ver com isso.

A RESPIRAÇÃO LOGA (profunda) DÁ PODER DE CONCENTRAÇÃO e sintoniza as pessoas com o ritmo do universo; traz paciência, calma, tolerância, desenvolve uma visão das coisas e a consciência do aqui e agora. A memória e a visão do futuro se tornam mais extensas e claras.

A RESPIRAÇÃO CURTA É DISPERSIVA. Traz impaciência, cria um ritmo irregular; as pessoas mudam muito de idéia, tendem à intolerância e ao mau humor. Custa a se adaptar aos ambientes, vive sempre em conflito e se apega mais aos detalhes que ao todo.Sem muito esforço, é possível concluir que uma respiração longa, lenta e profunda pode criar dentro de cada um de nós um oásis particular de harmonia, paz e saúde. É utilizada em qualquer hora, situação e lugar, por qualquer pessoa.

A RESPIRAÇÃO É A SUA ARMA. COM ELA, VOCÊ DOMINA
A SUA ENERGIA VITAL.

LOCUÇÃO

Exercícios Práticos para iniciar a locução

Relaxamento

– Circular a cabeça para a Direita e para a esquerda

– Circular a cabeça para os lados, para cima e para baixo
– Fazer caretas procurando utilizar todos os músculos do rosto
– Articular A/E/I/O/U, forçando o diafragma e anasalando as expressões.

Sibilação

Execute estas sílabas
Zi – Si – Fi – Chi – Vi – Gui – Qui – Z – S – F – C – VPara articulação dos RRBar – Mur – Per – Vur – Der – Xar – Cor -Ter – Quer – Dru – Cro – Vri – Fra – Tre – Terê – Fará – Viri – Coro – Duru.

Exercício para relaxamento

De forma suave, com baixa intensidade.
ME – TRÚ – VÊ – JÊ – QUE – GUE – ZÊ – BRÊ

Limpeza das cordas vocais e Fono

-Articulação”O mameluco maluco e melancólico meditava e a megera megalocéfala macabra e maquiavélica mastigava mostarda na maloca, minguadas e míseras miavam na moagem mas mitigavam mais e mais as meninas”.

Para leitura lenta

“E há nevoentos desencantos dos encantos dos pensamentos nos santos lentos dos recantos bentos, dos cantos dos conventos. Prantos de intentos, lentos tantos que encantam os atentos ventos.”

Cuidados com a voz

Períodos curtos de rouquidão em adultos, geralmente, não são motivos de maiores preocupações. Costumam aparecer por causa de gripes que atingem a laringe onde estão localizadas as cordas vocais.

Dificuldades emocionais também podem estar por trás dos sintomas. A associação entre agressões físicas causadas pelo cigarro, alergias, infecções e o uso inadequado da voz é de fato o agente causador de boa parte dos problemas das cordas vocais.

A ansiedade aumenta a tensão muscular e modifica a postura. O paciente tende a não relaxar o corpo para a respiração diafragmática, a forçar a voz na garganta e até agitar sem motivo.O tratamento destes casos conjuga exercícios de fono, técnicas de relaxamento e diminuição de ansiedade.

Em situações estressantes, as pessoas podem perder completamente a voz.

Lembretes para uma boa locução1

– Exercite sua leitura e interpretação. Leia tudo o que lhe cair nas mãos, bula de remédio, receita culinária, livros, anúncios comerciais de revistas, etc. O leitor habitual não costuma cair em armadilhas de palavras ou termos usados com pouca freqüência.
2 – Nunca é demais ter conhecimentos mínimos de regras gramaticais e cultuar um vocabulário razoável. Um vocabulário extenso e versátil é de fato um pré-requisito para eficiência da comunicação.
3 – É bom evitar expressões complicadas, pois soará como pedantismo da sua parte e pode perturbar o fluxo da mensagem que se está transmitindo.
4 – O entusiasmo em demasia pode ridicularizar a locução.
5 – É sempre necessário manter-se bem informado sobre os acontecimentos importantes que ocorrem no mundo. Ter conhecimento prévio das notícias permite que se faça comentários pertinentes com lógica e conteúdo.
6 – Se não houver “script” (roteiro do programa), faça um esquema prévio, principalmente se o assunto envolver nomes, datas, locais, números e relações em geral.
7 – Evite as “abobrinhas”, pois elas desvalorizam qualquer trabalho.
8 – O ideal é que o locutor participe da redação do texto que irá ler (interpretar), pois assim facilitará a interpretação na leitura durante a locução.
9 – Seja claro e acessível. Não enrole seu ouvinte com palavras que nem todos possam entender.

Improvisação

Há casos em que o locutor pode se deparar com situações em que tenha que fazer uso de improvisações, que se não forem realizadas com segurança, podem causar alguns embaraços.

A improvisação pode seguir dois caminhos distintos: aquela que é produzida, prevista com efeitos especiais e aí nem é considerada tanto uma improvisação na acepção do termo porque tem um roteiro que se aproxima da descontração e pode até incluir comentários musicais.

A verdadeira improvisação é espontânea, surge a partir de lapsos técnicos, jornalísticos ou na própria programação. É quando você se vê na contingência de falar para que a transmissão retorne ao seu curso e siga normalmente. É a oportunidade de se exercitar o raciocínio e falar a coisa certa em momentos críticos.

Lembretes ao entrar no ar

1 – Relaxe. Procure descontrair-se. Acredite no seu trabalho e capacidade de realizá-lo.
2 – Leia o texto antes, quantas vezes achar necessário, até se sentir seguro.
3 – Não confunda pressa com ritmo ou entusiasmo.
4 – Ler com calma dá a impressão de que você está falando de improviso e ajuda a alcançar uma identificação com os ouvintes. Procure explorar esta faceta.
5 – Lembre-se que as pontuações gramaticais correspondem às pontuações de expressão vocal. Por outro lado, a voz humana é cheia de matizes e expressa uma extensa gama de emoções impossíveis de serem registradas graficamente. A pontuação gramatical, por exemplo, é recente na história da língua.
6 – Procure adotar o ponto de interrogação também no princípio da frase ao elaborar o texto (como na língua espanhola). Isto facilitará a interpretação na hora da locução.
7 – Procure otimizar o ar respirado. Procure terminar as frases com a reserva deste ar.
8 – A expressão mais agradável será obtida com apuro auditivo e sensibilidade. Isto permitirá acertar a modulação da voz em consonância com o significado do texto.
9 – Preste bastante atenção com as pausas de Ponto (.), Ponto Final(.), Virgula (,), Dois Pontos (:) e Reticências (…). A observação dessas premissas vai também ajudar no controle da respiração, bem como nas tomadas de ar e expirações durante a leitura.
10 – A respiração deve ser suave e silenciosa. A respiração, assim como a postura, deve conduzi-lo a uma posição de harmonia adequada às exigências inerentes ao trabalho que se está realizando. Assim, como afirma Marília Telles, “…A comunicação no rádio se faz pela menor fração da linguagem que é o som, que é algo complexo. Costuma-se dizer que não se deve respirar pela boca, o que tem sua razão de ser, pelo fato do nariz ter elementos que filtram e regulam a temperatura do ar que respiramos, mas quando o locutor estiver em ação, provavelmente fará algumas tomadas de ar pela boca, para não truncar uma frase qualquer e assim prejudicar o sentido emocional do pensamento.”
11 – Articule bem as palavras para se tornarem bem audíveis, principalmente no início e no fim das frases.
12 – Mantenha a mesma entonação do princípio ao fim.
13 – Capte a mensagem e transmita isso.
14 – Ao realizar a locução, não leia de forma automática. Ponha a sua locução em tom de conversa.
15 – No decorrer de sua locução, evite tossir, espirrar, pigarrear. Se tiver que fazê-lo, faça antes ou depois da transmissão. Nos estúdios instalados de maneira adequada, possuem um interruptor de linha de microfone instalado na mesa de locução, onde o locutor nesses casos interrompe temporariamente sua linha.
16 – Não batuque na mesa. Não vire as folhas de lauda atabalhoadamente. Os microfones de hoje são muito sensíveis e poderão registrar todos esses ruídos indesejáveis. Se por acaso isso ocorrer, procure agir naturalmente.
17 – Procure tratar as demais emissoras (inclusive as grandes) com dignidade diante dos seus ouvintes, mesmo sabendo que elas oferecem concorrência e resistência a nossa atuação.
18 – Fique sempre atento aos sinais do operador. Em muitas situações, o técnico de som precisará comunicar-se e o fará através de sinais que deverão ser padronizados entre os colegas.

DEVERES DO LOCUTOR

– Se você for iniciante, precisa aprender antes de tudo a ouvir. Se adotar esse comportamento desde o início, aprimorará o seu padrão profissional a cada desempenho. Ser um bom ouvinte significa prestar atenção no rádio e na TV, observando e analisando o conteúdo da programação na forma como é colocada a mensagem no veículo. Na maioria das vezes, ouvimos o rádio e a TV de maneira passiva e sem análise do que estamos escutando e vendo de fato. O bom locutor, radialista ou comunicador, observa os meios de comunicação com olhos e ouvidos críticos a todo momento. Por um lado, ele se protege das armadilhas subliminares da comunicação. Por outro, ele aprende a comunicar-se avaliando o trabalho dos “colegas”.
2 – É preciso estar informado de tudo o que for possível. O apresentador, produtor ou radialista está com a responsabilidade da informação correta cada vez que pegar no microfone. Não podemos correr o risco de passar informações incorretas, duvidosas ou inconsistentes. O ouvinte normalmente acredita no seu discurso, mas poderá decepcionar-se com o programa ou a rádio, caso perceba “insegurança” na sua informação.
3 – Durante o trabalho, concentre-se. Evite distrair-se com a música que está tocando. Preste atenção no que está acontecendo no programa. Lembre-se que quem deve curtir é o ouvinte. O apresentador está trabalhando e deve encarar os acontecimentos do programa como tal. Devemos animar o programa, sem perder o controle e a atenção do que estamos fazendo.
4 – Procure aproveitar o tempo de exibição das músicas para preparar-se aos próximos blocos de locução ou operação.
5 – O bom apresentador deve identificar as reais importâncias em relação às atividades desenvolvidas por ele frente ao programa ou à emissora da qual faz parte.
6 – Identifique-se com o ouvinte e não o inverso. Procure dar ao ouvinte um clima de confiança e amizade. Fale a língua de seu ouvinte. Conquiste-o para sua audiência. Só assim, você poderá obter o prestígio necessário para passar a mensagem.

TIPOS DE LOCUÇÃO

NARRADOR – É aquele que está sentindo. Se emociona com o texto. Acima de tudo interpreta o papel, sendo ele quase um ator.

APRESENTADOR – É o que comanda as atrações do programa, faz o trabalho de “âncora”. Dá informações diversas e necessárias ao andamento do programa.

ESPORTIVO – É geralmente vibrante, espontâneo e improvisador.

ENTREVISTADOR – É o que expõe, narra fatos, faz entrevistas e pesquisa acontecimentos através de perguntas que dirige com os personagens da matéria.

NOTICIARISTA – Lê as notícias cujos textos são preparados e revisados pela redação do programa ou da rádio. Usa a ênfase, a sobriedade e a seriedade.

APRESENTADOR PUBLICITÁRIO – É antes de tudo um ator. Interpreta, encena e dá a entonação necessária à peça publicitária.

LOCUÇÃO COM ACENTUAÇÃO – É a locução que consegue acompanhar o ritmo da música que tem de fundo. Geralmente é usada para anunciar músicas em programas desse estilo.

LOCUÇÃO COM ASSIMILAÇÃO – Usada em locuções esportivas, leilões, etc., numa fala mais rápida, acaba-se aproveitando o tom e o ritmo da locução para se entender a mensagem, mesmo que tenha perdido a compreensão de uma ou outra palavra (Vide locução de futebol em rádio).

LOCUÇÃO COM ELISÃO (supressão da vogal final) – É a correta postura da voz em relação às palavras. É a adequada combinação dos sons dentro das frases. É feita através da colocação justa da entonação das palavras chaves nas frases. Visa tornar a fala mais agradável, melodiosa, rítmica e fluente.

LOCUÇÃO A DOIS – A locução a dois é ideal. Fica muito mais atraente quando feita por duas vozes contrastantes (masculina e feminina).

Fonte – Rede Brasil de Comunicação Cidadã
Artigo de Marcelo Ferreira

Anúncios


No Responses Yet to “Locução e Respiração”

  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: