“O 3D nunca irá salvar um filme sem qualidade”

10Jun10

A era digital nem sempre é vista com bons olhos. Avatar foi um desafio das novas tecnologias e foi um sucesso, mas as opiniões são mais que muitas e bastante divididas. Muitos desconhecem, mas a verdade é que o 3D ainda tem pontos fracos.

Avatar estreou a 18 de Dezembro de 2009 nas salas portuguesas e já deu muito que falar, aqui e em todo o mundo. Vencedor de dois globos de ouro, o filme já é tema de conversa em todas as esquinas. O 3D é o ângulo mais abordado e as opiniões distinguem-se.

A película conta a história de Jake Sully (Sam Worthington), um veterano de guerra paraplégico, que é levado para uma missão a Pandora, um planeta habitado pelos Na’vi, uma raça humanóide que possui cultura e idioma próprios. Para entrar no planeta, os humanos criam avatares, seres híbridos com DNA Na´vi. A história centra-se em Jake e o encontro com esses seres mudará a sua vida para sempre.

Avatar foi filmado em 3D, com os actores a serem transformados em versões digitais pela captura de movimento. Cortar e montar. Analógico ou digital. Linear ou não – linear. Editar um filme não se baseia apenas em escolher as melhores cenas. É nesta fase que são inseridos os efeitos especiais, as trilhas sonoras, as legendas e onde se inserem também os efeitos de áudio.

Os efeitos especiais possuem várias etapas. João Pedro Jorge, engenheiro de software participou nestas diferentes fases do Avatar. “Em geral, o processo começa com a geração de modelos 3D que representam objectos ou criaturas na cena. Depois são gerados esqueletos para que os animadores lhes dêem vida. São também geradas texturas e criados os ‘modelos’ necessários para que esses modelos pareçam o mais real possível”, começa por decifrar o engenheiro. Para interagir com os modelos 3D são criadas diferentes simulações, como o fumo, as explosões, a água, entre outros. “No final são geradas as imagens através de uma aplicação chamada ‘renderer’, e outros colegas, os ‘compositors’, juntam-nas e produzem o resultado final”, conclui João Jorge. Imagem de duas dimensões elaboradas de forma a proporcionarem a ilusão de terem três dimensões, assim se define o 3D. Mas o engenheiro, completa: “ No cinema o termo 3D é uma maneira de denominar a visão estereoscópica, ou seja, a noção de profundidade”.

Muitos dizem que são os efeitos especiais que levam a população às salas de cinema, mas há quem contraponha. Luís Cardoso, professor de cinema na Escola Superior de Educação de Portalegre defende que: “O público é heterogéneo, o que significa que a pluralidade é uma das suas características. Os efeitos especiais conseguem atrair muita gente (Avatar, Matrix, O Senhor dos Anéis…) mas há inúmeros filmes sem essa dimensão muito vincada que também conseguem atrair espectadores”.

As opiniões dividem-se quando se aborda os filmes em 3D. Para uns, os filmes em 3D são os preferidos. Mas para outros, a visão de profundidade pode tornar-se cansativa. Tripp Hudson, produtor de efeitos de especiais do filme sustenta que: “Depende realmente do filme. Eu adoro o Avatar, o 3D funciona lindamente. Mas ele não funciona em todos os filmes. É de salientar que quase todos os filmes animados são realizados em 3D agora.”

As três dimensões levam muitos jovens e adultos às salas de cinema. Para o professor de cinema, “o desejo de comunhão e integração espacial na diegese, nomeadamente no espaço e na aproximação às experiências das personagens e intenções narrativas”, faz-lhe optar pelo grande ecrã, quando se tratam de filmes com efeitos especiais a três dimensões.

O 3D resulta da utilização de tecnologia que cria uma ilusão de profundidade, de uma terceira dimensão espacial. Possui inúmeras potencialidades mas as dificuldades técnicas e financeiras do processo não têm ajudado à sua proliferação. Avatar esperou 15 anos para poder ser concretizado. James Cameron pensou na história em 1995, mas só retomou o projecto há quatro anos, quando tinha todas as ferramentas tecnológicas para o concretizar. Uma das novas técnicas utilizadas é o reconhecimento facial, que capta, em computador, as expressões dos actores, incluindo o movimento dos olhos, para posterior reprodução em animação.

Tripp Hudson participou na produção dos efeitos especiais de Avatar e consegue descrever em breves palavras este filme. “Uma história bonita, com imagens incríveis e onde as pessoas se podem relacionar”. E afirma ainda com firmeza: “O público adora este filme.”

Para alguns produtores , o 3D é visto como um processo para travar a pirataria. Gaspar Garção, crítico de cinema em Portalegre comenta que: “o 3D poderá ser uma forma de travar a pirataria, juntamente com o cinema projectado em formato digital e o envio de filmes directamente das produtoras para os cinemas através da internet, mas é óbvio que a pirataria não irá desaparecer, a não ser que sejam tomadas pelas autoridades medidas mais drásticas.
No entanto, para quem aprecia o cinema “verdadeiramente”, é obviamente uma mais valia.  Apesar do fenómeno “Avatar”, penso que o 3D nunca irá salvar um filme sem qualidade, nem alterar o decréscimo global na venda de bilhetes e dvd’s.”

A produção de «Avatar» lançou um vídeo onde explica a criação do planeta Pandora e a sua história, a partir da narração de Sigourney Weaver, que, no filme, interpreta a Drª Grace Augustine, uma cientista que dedicou a sua vida àquele planeta.

Pandora é um lugar tratado como o paraíso. Coberto de cores claras a desvanecer a cada minuto. Onde a aventura e a emoção se entrelaçam com a magia da fantasia. O empenho de James Cameron para criar um universo alienígena foi vencido. As plantas e os animais são completamente diferentes do que vimos em filmes do género e a floresta tropical de Pandora é um espaço físico hostil e deslumbrante que dá vontade de descobrir. Recheada de mistérios e detalhes por explorar, Pandora é palco de um romance entre dois Na’vis.

Maria do Carmo Piçarra é crítica de cinema e descreve o sucesso em breves linhas, com um diferente e complexo ângulo de abordagem. “É um filme pós-era Bush, em que a suspeição pelo estrangeiro, pelo ‘outro’ e o belicismo se impuseram aos Direitos do Homem, e assinala as expectativas num maior humanismo com a ‘Política da Esperança’, triunfadora com a eleição de Obama como presidente do país mais poderoso do mundo”. E acrescenta: “Fá-lo pela crítica à opção num Estado de desconfiança, em que o investimento no armamento e defesa supera o investimento na preservação ambiental. Nisso radica a crítica aos habitantes do Planeta Terra, que destroem o seu habitat, abstraindo-se de um necessário equilíbrio natural.”

Avatar é já um sucesso de bilheteiras em todo o mundo. Com ou sem óculos especiais, muitos pés correm às salas escuras e ocupam o seu lugar para assistir de braços descontraídos à aventura dos Na’vis.

“No filme “Avatar”, consegui ‘imergir-me’ completamente numa história, uma espécie de simulacro de Realidade Virtual, como nos jogos de computador, mas claro que com um nível técnico e de efeitos especiais muito maior,” confessa Gaspar Garção. E vai mais longe: “Costuma-se dizer que o cinema é um escape para a realidade, e no caso deste filme parece que até os próprios espectadores estão a sofrer de um ‘síndroma’ de dependência dos efeitos em 3D: muitos mencionaram que gostariam de viver em Pandora, por ser muito mais interessante e muito mais real que o mundo onde vivem.”

A câmara encerra quando Neytiri remove a máscara de Jake, no rosto humano. Ela gentilmente fecha os olhos mortos com os seus dedos. Então, inclina-se e beija. Movimento em ‘closed up’ no Avatar de Jake com a mão de Neytiri acariciando o seu rosto. Mantenha o ritmo, então. Eles abrem. Corta para preto.

(Um artigo escrito para uma disciplina de mestrado)

Anúncios


One Response to ““O 3D nunca irá salvar um filme sem qualidade””

  1. Cara Susana, lamento que após o meu contributo não tenha tido a disponibilidade para, tal como lhe pedi, enviar-me uma cópia do seu trabalho sobre o qual, naturalmente, fiquei com curiosidade.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: